Híbrido: o mundo passou a ser o que a comunicação já era

O termo híbrido, que, entre outros, significa “algo que contém componentes distintas na sua constituição” passou, com a pandemia, a ser parte integrante do nosso dia-a-dia. Não que a expressão seja usada por todos, mas porque a dualidade presencial e virtual é hoje uma realidade.

Vejamos. No ensino, as escolas adaptaram-se para lecionar presencialmente e à distância e as reuniões de pais, no arranque do ano letivo, foram presenciais para uns, virtuais para outros. No mundo laboral, o teletrabalho, a par dos turnos rotativos, impera, em muitas funções e, segundo as discussões tidas nos últimos meses, esta é uma tendência que veio para ficar. As reuniões profissionais, mesmo com entidades oficiais, passaram a ser, maioritariamente, virtuais.

Na área da saúde, as consultas médicas também passaram, algumas, a acontecer à distância – seja por telefone ou sistema de videoconferência –, independentemente da sua eficácia. A Accenture estima que uma em cada três consultas seja feita de forma virtual no futuro, para fazer face aos grandes desafios que se impõem ao setor.

A maioria, para não dizer a quase totalidade dos congressos médicos e outras atividades para profissionais de saúde, passou a ser feita à distância.

Na nossa esfera pessoal, as nossas conversas com amigos e familiares foram, muitas delas, substituídas por conversas virtuais. Alguns de nós deixámos de ir ao ginásio e habituámo-nos a seguir o personal trainer virtualmente ou passámos a fazer exercício sozinhos. As compras online aumentaram, como seria previsível, e para este Natal já se prevê um aumento de 30% em relação ao ano passado.

No mundo da televisão também já nos habituámos a ver os convidados participar nos programas virtualmente, em vez de estarem fisicamente ao lado do apresentador, como acontecia quase sempre. Alguns eventos já permitem uma participação presencial ou à distância, ficando ao critério do participante decidir o formato da sua participação.

E na comunicação, o que mudou? Na comunicação já eramos híbridos! Já delineávamos estratégias que englobavam uma panóplia alargada de canais, incluindo os digitais. O sucesso de uma campanha está intrinsecamente ligado aos canais que utiliza para atingir o seu público-alvo. A única alteração que a pandemia nos trouxe foi a maior propensão para o consumo de meios digitais. O segredo está em escolher da grande diversidade de canais os mais eficazes para cada público.

Patrícia Soares, Senior Communication Consultant

Partilhe
Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter